domingo, 4 de janeiro de 2009

És Bella


És bella
Como uma janela aberta
A uma floresta de quimeras

Que por luxúria e vaidade
Transformou-te em humana em mulher
A qual ama e encanta um mundo de ânsias

E talvez
Por ironia do destino
Amo-te
Para nunca mais deixar-te fria

Será minha sina morrer na solidão?

Se ao menos sua beleza burguesa
Me desse esperança e enxergasse
Através dos olhos de minha suposta criança

Saberias que te desejo
Mais que minha própria vida

Cuja sina foi amar
A falsa Colombina

Fabiano Antunes

2 comentários:

  1. "O Pierrot apaixonado chora pelo amor da Colombina
    E é sua sina chorar na ilusão em vão... (...)
    E o Pierrot apaixonado chora pelo amor da Colombina
    E na esquina se mata a beber pra esquecer. (...)
    E o Pierrot só queria amar
    E dar um basta a esta dor já sem fim..."

    [Los]

    =***

    ResponderExcluir
  2. Danielle Bragança26 de maio de 2012 23:04

    Je vous remercie beaucoup pour la poésie,chez Pierrot.
    Je sais que vous avez fait ce poème pour moi.

    A toujours été un gentleman.

    ResponderExcluir